Blog Memorarces

Por Rubia Arce e Colunistas

Coragem

7 Jul 2017

Hoje vamos falar sobre Coragem. Muito se ouve dizer sobre pessoas corajosas, aquelas descritas como heróis. Definidas como pessoas destemidas, que enfrentam consequências, sem medo, sem receio de absolutamente nada. Mas o que seria, para você, uma pessoa corajosa? Será que quem tem coragem não sente medo? Você sabe o que é medo? E por que o sentimos?

 

O que é medo?

Medo é uma emoção, das mais fortes que sentimos. Ele é uma reação de defesa que nosso cérebro dispara em nós quando ele identifica que estamos em situação de perigo. É uma emoção muito importante, porque ela nos mantém longe de situações perigosas. Muitas vezes salva a nossa vida. Porém, nem sempre as situações que nosso cérebro entende como “perigosas”, são realmente. Por isso, algumas vezes sentimos medo em momentos e situações que não representam perigo real. Basta você ter passado por alguma experiência desagradável com determinada situação, que seu cérebro já reconhece como situação de perigo e te faz sentir medo todas as vezes que você se encontrar em situação parecida.

 

Mas e a pessoa corajosa? Ela sente medo? Sim, claro que sente. Ela também sente esta emoção de defesa que o cérebro oferece. Mas o que faz dela uma pessoa corajosa é enfrentar o medo e seguir em frente. Sabe aquela frase: “Vai, e se sentir medo, vai com medo mesmo.”? É isso. Pessoas corajosas fazem o que for preciso fazer, enfrentando as consequências. Ter coragem não significa não sentir medo. Significa ter sabedoria e capacidade suficientes para enfrenta-lo. É não ceder aos sinais que o corpo dá quando quer te defender de alguma situação. Frio na espinha, suor nas mãos, frio na barriga, perna trêmula, respiração ofegante.

 

A gente enfrenta e vai assim mesmo.

Quando digo “a gente”, me refiro a mim também, porque tenho vivido situações de extremo medo, mas tenho enfrentado de frente, tenho erguido a cabeça e seguido. Até poucos anos atrás eu era uma pessoa muito tímida, e ainda sou. Mas antes eu cedia ao medo de falar em público, ao medo de reagir a situações e ser criticada, de zombarem de mim. Ao medo de não concordar com algo, e colocar a minha opinião e ser rejeitada. Muitos medos pairam sobre a minha cabeça, mas a diferença de antes para agora é que não cedo mais. A primeira vez que fui mestre de cerimônia de um evento, quase tive um ataque uns momentos antes. Não dormi a semana inteira que antecedeu o evento. Mas fui e fiz. Um pouco antes do início, eu estava trêmula, voz ofegante e louca pra sair correndo. Mas venci. E no meio do evento eu já estava super à vontade, como se já fizesse este trabalho há anos. Foi muito bom superar um medo. Uma das melhores sensações que tive. Senti-me corajosa.Hoje sou palestrante, idealizadora de um grupo de empoderamento feminino e apresento todos os eventos que realizamos.

 

Esta é a definição de coragem: superar o medo. Levantar a cabeça e enfrentar. Buscar alternativas que te ajudem a superar. E vencer. Vencer a si mesmo, e criar definições de coragem para o seu cérebro. Depois de um tempo, acredite, ele se acostuma a não enviar comandos de reações de medo para o seu corpo, porque você o ensinou que não adianta enviar porque você não vai ceder mais. Então, fica só um friozinho na barriga para te lembrar de que vai fazer uma coisa importante e precisa estar alerta.

 

Sejam corajosos! Tentem, mesmo que seja difícil, tentem. Vocês irão experimentar do gostinho delicioso de se superar e de vencer. Não importa o que seja preciso fazer, façam. Os objetivos principais de estarmos aqui é crescer, aprender, e tentar ser uma pessoa melhor a cada dia. Não só para os outros, mas para nós mesmos.

 

Agora conte para mim uma situação em que precisou ter coragem, enfrentar seus próprios medos. Comente! Terei prazer em responder.

 

 

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

O PESO

November 18, 2019

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga-me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon