Blog Memorarces

Por Rubia Arce e Colunistas

A Juventude do Terceiro Milênio

1 Jan 2018

O ano de 2017 se foi e levou consigo 365 dias de acontecimentos únicos e que marcaram cada um de nós à sua própria maneira. A partir de hoje o ano 2000 sopra algumas velinhas e completa os seus dezoito anos.

 

De acordo com o Estatuto da Juventude brasileiro, ser jovem compreende o período que vai dos 15 aos 29 anos de idade e de acordo com o novo Código Civil aprovado em 2003, a maioridade civil passa a ser garantida a partir dos 18 anos.

 

Assim como esta idade acarreta uma série de mudanças que ocorrem de dentro para fora e de fora para dentro, 2018 também será o ano de grandes transformações. Segundo o horóscopo chinês o ano do Galo de Fogo se finda e o animal que regerá 2018 é o Cão da Terra. Dentre os pontos fortes deste ano, destaca-se a chance de abandonar velhos vícios e iniciar novos projetos decorrentes de escolhas provocadoras de mudanças.

 

Desta forma, podemos considerar que um grande marco na juventude deste terceiro milênio se inicia. Esta fase por si só já significa transição, pois é o período que sucede a infância e antecede a maturidade. Assim como as estações da natureza, saímos da primavera (a infância), atravessamos o verão (adolescência e juventude) e seguimos em direção ao outono (fase adulta) e ao inverno (velhice) da vida.

 

Toda a bagagem emocional, intelectual e comportamental adquirida no decorrer da infância começa a ser colocada à prova durante a juventude. Diante de inúmeras possibilidades começa a escolha pelos caminhos aos quais seguir. São estas escolhas que, de alguma forma, sustentarão o adulto que nos tornaremos futuramente.

 

Juventude pode se tornar sinônimo de:

Transição: para atravessar lados opostos da ponte da vida;

 

Coragem: para não enxergar nitidamente os limites, mas mesmo assim ir sem saber o que irá acontecer;

 

Persistência: para “quebrar a cara”, achar que tudo está acabado e ter o apoio de quem está próximo para nos manter de pé;

 

Crises: para nos ajudar a construir um pouco mais a nossa própria identidade;

 

Fragilidades: para compreender emoções antes incompreendidas;

 

Rebeldia: para romper padrões sem se prender a preconceitos e julgamentos;

 

Responsabilidades: para começar uma caminhada um pouco mais independente;

 

Cuidado: para regar as sementes que antes foram plantadas de forma a colher seus frutos mais tarde;

 

Descobertas: para lapidar nossos talentos e colocá-los a serviço dos outros.

 

Ser jovem significa então vivenciar, compreender e aceitar as transformações da vida, extraindo seus aprendizados e mantendo a chama da vitalidade sempre acesa. Significa transcender as limitações inerentes à idade e não se apegar tanto às marcas deixadas pelo tempo. Significa começar a despertar para enxergar o mundo com um olhar nem tão inocente e nem tão “viciado”. Significa estar receptivo ao que é novo, mas consciente de que cada experiência é fundamental para o desenvolvimento pessoal.

 

Que a juventude do terceiro milênio seja o ano em que possamos aprender a manter a espontaneidade de uma criança, a coragem de um jovem e a sabedoria de um adulto. Que 2018 traga consigo a possibilidade de abandonar velhos hábitos, materializar sonhos e de evoluirmos como seres cada vez mais humano.

 

Feliz novo ano!  <3

 

 

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

O PESO

November 18, 2019

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga-me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon