Blog Memorarces

Por Rubia Arce e Colunistas

Basquete: oportunidades e lições aprendidas na vida profissional

23 Jan 2018

Comecei a jogar basquete com 8 anos de idade. Cresci assistindo aos campeonatos da NBA maravilhada com as enterradas de Shaquille O’neal, os dribles de Michael Jordan e a serenidade de Shawn Kemp. Magic Paula, Hortência e Martha me traziam esperanças no basquete brasileiro e Oscar Schmidt me embalava com seu jargão: “mão santa não, mão treinada!”

 

Por um infortúnio, rompi o ligamento do meu joelho e lá se foi o sonho de ser jogadora de basquetebol profissional.

 

Na fila do almoço

Me recordo no campeonato brasileiro, em Pindamonhangaba (SP), na fila do almoço em um alojamento, enquanto aguardava a minha vez para o rango, lia Jorge Amado, quando uma colega de quarto veio até a mim e disse: “Jogador, não precisa ler não... pra que estudar se você será jogadora de basquete?” Salvo engano, e aqui quem vos escreve é uma jornalista que foi salva pelas palavras, letras e outra frase jargão de Oscar Schmidt dizendo: “Você precisa estar preparado para quando a chance aparecer, e ela vai aparecer!”

 

Login + Senha = Oportunidade

Tive inúmeras provas da onipresença de Oscar em minha vida, uma delas foi quando era estagiária, trabalhava na ThyssenKrupp e ainda não percebia o mundo maravilhoso que se vislumbrava diante de mim... 2007 se não me engano...

 

Um dia conversando com o Gerente de TI ele me disse que estava fazendo um curso PHODA para virar palestrante. Eu me encantei com essa fala. Sabia que era um curso presencial e online caro. Sai para almoçar. Retornando do almoço lá estava sobre a minha mesa um papelzinho tímido com login e senha! Era um presente pra mim! Meu olho brilhava! Eu sabia que tinha uma oportunidade linda nas mãos! Foi aí que despertei a minha vontade de falar ao público! Dei meus primeiros passos e a cada dia me sinto mais forte e confiante.

 

Treino sempre, incansavelmente! Essa oportunidade me impulsionou para a área da educação, minha paixão. É isso, estar preparado! E como diz Jobs, “você olha para trás e começa a perceber cada ponto da sua história que se conecta”, trazendo sentido para o seu momento presente!

 

E ai? Vai ficar parado?

A pergunta que não quer calar é quantas e quantas vezes perdemos grandes chances de fazer acontecer, pela ausência dessa energia realizadora que nos impulsiona? Se ao menos uma oportunidade, das várias que batem à sua porta todos os dias, aparecer, vai e faça acontecer!

 

Seja o que for fazer hoje, peça ajuda, porque jogar sozinho é muito chato!

 

 

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

O PESO

November 18, 2019

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga-me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon