Blog Memorarces

Por Rubia Arce e Colunistas

Sonhe Grande

3 Apr 2018

Olá queridas/os leitoras/es,

Tudo bem? Por aqui tudo ótimo.

Hoje vou compartilhar com vocês um fato curioso que me aconteceu na faculdade e que ilustra precisamente o título deste texto.

 

No segundo período do curso de Administração, a professora de uma disciplina chamada ‘Psicologia nas Organizações’ pediu para que, em grupo, produzíssemos um trabalho chamado: Jantar com Empreendedor(a). O objetivo era entrevistar uma pessoa cuja trajetória profissional apontasse para o empreendedorismo. Nesta hora, foi possível validar a teoria de alguns poetas sertanejos: 99% prefere ser anjo e perfeito. Optam pelo caminho mais fácil, aquele percurso que não despende tanta energia e que não deixa pra trás alguns neurônios queimados. Preferem se encaixar no ‘padrãozinho’, pois talvez nunca foram estimulados a fazer mais um pouco de esforço mental. Só 1% tem a cara e a coragem de ser ‘vagabundo’, de arriscar, de fazer diferente sem saber aonde vai chegar.

 

Os burburinhos na sala de aula revelaram as intenções dos grupos em relação a quem entrevistar: o pai, a mãe, o tio, a tia, o primo, a prima, o conhecido ou a conhecida de alguém mais próximo. Pra quê se fechar tanto? Pra quê buscar no entorno, enquanto há um mundo inteiro lá fora que pode ser explorado? Estas foram as perguntas que precederam minha lembrança de semanas antes, em que um colega de trabalho havia me mostrado um trecho de um vídeo da série “O Aprendiz”, comandada por Roberto Justus, com a participação de seu sócio e mentor Walter Longo. Na ocasião, o discurso de Walter havia feito uma grande diferença para a decisão de Justus no destino de um dos participantes.

 

No primeiro instante imaginei: e se fizéssemos a entrevista com o Roberto Justus? Assim que a aula terminou soltei para a turma meu pensamento e imediatamente vieram os comentários: “você está ficando louco?”, “o cara mora em São Paulo!”. Não me dei por satisfeito e, já em casa, comecei a pesquisar um pouco mais sobre o programa. Decidi então acessar o site oficial daquela figura coadjuvante para pegar o e-mail de contato e enviar uma mensagem às 00:20 com o seguinte texto:

 

14/08/2008 às 00:20

Prezado Sr. Walter, boa noite!

É com imenso prazer que escrevo este e-mail para lhe fazer um convite que será de grande importância para mim e meus colegas de faculdade.

Estamos cursando o segundo período de administração na Pontifícia Universidade Católica de Belo Horizonte (PUC Minas - Campus Coração Eucarístico), onde fomos incumbidos nesta mesma data de apresentar um trabalho para a disciplina de Psicologia Aplicada às Organizações, matéria ministrada pela professora Joana D'Arc.

O título do trabalho é "Jantar com Empreendedor". O objetivo do mesmo é fazer uma espécie de entrevista com um empresário famoso, para enriquecer os nossos conhecimentos e aprender mais um pouco sobre os maiores empresários do nosso país através de sua experiência profissional ao longo de sua vida.

Assim que a professora explicou de que se tratava o trabalho, o objetivo, o roteiro e os resultados de outros períodos com o trabalho, a primeira pessoa que me veio em mente foi a figura do Roberto Justus. Mas, apesar de ser um grande empreendedor e vendo o programa O Aprendiz exibido pela Rede Record, percebi que suas decisões para demitir os participantes eram sempre embasadas em argumentos de um conselheiro de grande inteligência e visão gerencial.

Fica aberto o convite para que o sr. possa nos dizer se há possibilidades desta entrevista acontecer em nossa cidade de vsa. livre e espontânea vontade, pois não temos condições financeiras para arcar com custos de viagem, hospedagem, transporte e etc. Será um prazer imenso contar com a sua ajuda, já que, como havia dito antes, sua visão e sua inteligência adquiridas durante sua carreira profissional será de grande ajuda para enriquecermos nossos conhecimentos e aplicá-los em nossas vidas como futuros administradores.

Pedimos desculpas pela falta de formalidade com a qual escrevemos este e-mail, mas esta é a primeira vez que escrevemos para alguém importante. Pedimos desculpas também por contatá-lo desta forma, já que em nosso país hoje em dia é muito incomum fazer algo do tipo.

Agradecemos desde já pela vsa. atenção e aguardamos seu retorno.

 Pedro N. F. Gama

(31) 9211-3545

pipogama@hotmail.com

 

Mais formal e sincero impossível. No entanto não tive medo e expus a toda a nossa limitação em troca de uma entrevista. Tudo isso por querer trazer algo diferente, fora do comum, por querer fazer o que todos não fazem. Sabe aquela história do não estar garantido e ir em busca do sim? Foi exatamente o que tentei.

 

Saindo do trabalho por volta das 17h45, recebi uma ligação com o DDD de São Paulo:

- Alô

- Alô

- Eu gostaria de falar com o Pedro.

- Pois não, sou eu mesmo.

- Olá Pedro, aqui é a fulana assistente do Sr. Walter Longo. Recebemos o seu e-mail e estou ligando para te dar um retorno. Vocês têm muita sorte! O Walter estará em Belo Horizonte no próximo dia 18/08 para uma palestra e irá recebe-los após o evento para fazer a entrevista. Há alguns minutos atrás lhe enviei um e-mail com todas as informações.

- Tudo bem! Gostaria de agradecer imensamente pelo retorno e agradeça mais ainda ao Walter por poder nos receber.

- Que ótimo. Abraços!

- Outro. Tchau.

 

No turuturu da chamada meu coração já saía pela boca. O mais rápido que pude acessei o e-mail que dizia o seguinte:

 

14/08 às 17:38

Pedro,
Boa tarde!
Realmente vocês têm muita sorte!
O Walter Longo estará em Belo Horizonte no próximo dia 18/08, segunda-feira, para o lançamento da empresa Elemídia/BH.
O evento será às 19:00hs, no Hotel BH Platinum, que fica na Av.Olegário Maciel, 1748.
Nossa amiga Marcela Megale, da Elemídia/BH(que nos lê em cópia), vai mandar um convite para o e-mail de cada um de vocês, para que vocês possam comparecer ao evento e conversar com o Walter.
Caso necessitem de mais alguma informação, estou à disposição.
Grata,
Assistente do Walter Longo

 

Assim que cheguei na sala, fiz questão de perguntar para o grupo:

- Lembram sobre o trabalho de ontem?

 

Unanimemente as cabeças sacudiram positivamente, ao mesmo tempo em que os comentários sobre loucura e São Paulo foram proferidos novamente. Quando dei a notícia, os queixos caídos e as mãos levantadas em êxtase comemoraram o sucesso do grupo. Mantivemos em segredo a pessoa escolhida para entrevistarmos, até o dia marcado pela apresentação.

 

Mesmo com a grande pitada de sorte, fomos agraciados pelo universo com um presente inesquecível. E se eu tivesse dado ouvidos aos comentários incrédulos dos colegas de grupo e desistido da ideia? E se eu não tivesse enviado aquele e-mail na cara de pau? E se eu não tivesse dado vazão ao sonho grande quando este me veio à mente? E se? E se?

 

Dentre tantos “e se” fica as lições: pense grande, mas grande mesmo. Tente enxergar um pouquinho além do que os outros enxergam. Não siga o fluxo. Não trilhe o caminho que todos optaram por trilhar também. Ser igual a todo mundo? Pra quê? Isto não lhe tornará mais interessante.

 

A história termina em uma noite, a terno e gravata, em um hotel, assistindo a uma palestra sobre marketing digital com novidades que, anos depois, revolucionariam a vida das pessoas e a realidade de empresas. Posteriormente, tivemos uma bela recepção do nosso entrevistado que nos contou toda a sua trajetória marcada por persistência, coragem, desapego, mas muitas realizações. Tenho o áudio até hoje. Talvez precise escutá-lo novamente para materializar sonhos grandes e não deixá-los morrer.

 

Fica a dica de um vídeo do canal Nerdologia no Youtube, que muito me ensinou sobre o poder que as nossas ações tem em nós, nas pessoas e no mundo. Bora fazer?

 

Vídeo: Caos e Efeito Borboleta | Canal Nerdologia

 

 

 

 

Compartilhar no Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

O PESO

November 18, 2019

1/10
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga-me
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon